1962

1962

No dia 11 de março, em Osvaldo Cruz, nasceu Maria Paula Gonçalves Silva, segunda filha de uma família de 4 meninas. O médico que fez seu parto era tão apaixonado por basquete, que tinha uma tabela em seu consultório.

1969

1969

Aos sete anos, Paula se apaixonou por uma bola de basquete.

1972

Com apenas 10 anos, ganhou o seu primeiro troféu em um torneio de lance livre. Também, conseguiu que o técnico permitisse sua entrada no time juvenil Clube das Bandeiras. Apesar da idade, virou titular logo no primeiro jogo.

1974

1974

Mudou-se para Assis, aos 12 anos, para jogar pelo Assis Tênis Clube.

1976

Com a extinção do time Assis Tênis Clube, recebeu convite de vários clubes. Preferiu morar em Jundiaí, onde poderia jogar e estudar pelo Colégio Divino Salvador. Três meses depois, aos 14 anos, tornou-se a mais nova atleta a ser convocada pela Seleção Brasileira adulta.

1977

1977

Tornou-se titular da Seleção Brasileira, defendendo o Brasil por 22 anos.

1980

Aos 18 anos, recebeu proposta da UNIMEP e mudou-se para Piracicaba. A partir de 1983, o time passou a se chamar BCN/UNIMEP.

1983

1983

Ganhou, do jornalista esportivo Juarez Araújo, o apelido de Magic Paula, em alusão ao grande jogador americano Magic Johnson. Conquistou a medalha de bronze no Pan-Americano de Caracas (Venezuela).

1988

1988

Voltou a Jundiaí para atuar pelo Cica/Divino Salvador.

1989

1989

Aos 27 anos, formou-se em Educação Física e aceitou, pela primeira vez, um convite internacional, transferindo-se para a Espanha, para jogar pelo Tintoretto de Madrid. Foi lá que sofreu uma contusão no joelho. Ficou 6 meses afastada das quadras, mas conseguiu voltar a tempo de conquistar o vice-campeonato espanhol.

1990

De volta ao Brasil, passou a defender o BCN de Piracicaba.

1991

1991

Grande ano para o basquete brasileiro: conquistou a histórica medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Cuba, vencendo, na final, as cubanas por 97 x 76. Foi nesta ocasião, que Paula recebeu a medalha e muitos elogios de Fidel Castro.

1992

1992

Mudou-se para Campinas, para atuar pela Ponte Preta.

1993

Hortência também foi transferida para a Ponte Preta, único clube em que ela e Paula atuaram juntas. Com a dupla, o clube conquistou o Título Mundial de Clubes.

1994

1994

Conquistou a maior vitória de sua carreira: o título de Campeã Mundial de Seleções, na Austrália. A final foi contra a China, por 96 x 87. No mesmo ano, voltou a Piracicaba, para defender a CESP-UNIMEP.

1996

1996

Paula e a Seleção Brasileira conquistaram a medalha de prata nas Olimpíadas em Atlanta.

1997

Despediu-se da Seleção Brasileira. Porém, no ano seguinte, decidiu retornar à equipe, atuando, pelo Brasil, em seu sexto Campeonato Mundial.

1998

1998

Voltou a defender a camisa do BCN/Osasco.

2000

Despediu-se, definitivamente, das quadras depois de atuar por 28 anos.

2001

2001

Foi convidada pela Prefeitura de São Paulo para assumir o Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, iniciando sua carreira como gestora esportiva.

2003

Assumiu a Secretaria de Esporte de Rendimento, no Ministério do Esporte, permanecendo por seis meses.

2004

2004

Criou o Instituto Passe de Mágica. Clique aqui para conhecer mais.

2005

Voltou a ser convidada para dar sequência ao trabalho realizado entre 2001 e 2003 no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa.

2005

2005

Foi oficialmente convidada para integrar o Hall da Fama do Basquete Feminino e, em abril de 2006, embarcou para Knoxville, nos EUA, para participar da cerimônia.

2010

Um novo eixo no Instituto Passe de Mágica foi criado. A entidade passou a fazer a gestão dos recursos da Petrobras, a maior apoiadora do Esporte Olímpico nacional, no Projeto Plataforma 2016 (segmento de esporte de alto rendimento do Programa Petrobras Esporte & Cidadania). Mais de 100 atletas em cinco modalidades – boxe, esgrima, levantamento de peso, remo e taekwondo – começaram a ser beneficiados.

2010

2011

Iniciou sua trajetória de comentarista nos jogos Pan-Americanos de Guadalajara, pela Rede Record.

2012

Comentou os jogos Olímpicos de Londres, pela Rede Record.

2013

Foi homenageada com o hall da fama da FIBA (Federação Internacional de Basquete).

Magic Paula

Fotos: Editora Abril e Acervo Pessoal